Boa notícia

Boa notícia
aumenta a população do tigre siberiano. Link aqui

Pura emoção

Pura emoção
Cãozinho acompanha seu dono até o final. Link aqui

Haja fidelidade!

Haja fidelidade!
Cão viajou 800 km para ver o seu dono. Link aqui

Ouça a RDA, você vai amar!

Ouça a RDA, você vai amar!
Mata Ciliar acolhe filhotes vítimas de maus tratos. Link para o site oficial da RDA

CONHEÇA A FANTÁSTICA RAPOSA DO ÁRTICO

31/12/10


A Raposa do Ártico além de ser um dos mais belos animais das regiões geladas da Terra é também o que apresenta a mais fantástica integração com o meio hostil onde vive cujas temperaturas chegam aos -50º C. Sente-se completamente à vontade e adaptada tanto no verão quanto no inverno e consegue criar os filhotes que, aliás, não são poucos com um sentido de família altamente desenvolvido.

Claro que o chamado novo Ártico, ou seja, uma região que apresenta grandes transformações climáticas atualmente, representa um desafio ainda maior para esse animal. O aquecimento global tem provocado mudanças cada vez maiores na região. O gelo derrete antes do previsto. Placas continentais gigantescas se desprendem e avançam pelo oceano. Tudo isso modifica enormemente o eco-sistema local e influi na fonte de alimentação da Raposa do Ártico tornando sua sobrevivência ainda mais difícil.
De toda maneira parece que a Raposa do Ártico está mesmo preparada para o que der e vier. Para começar seu cardápio inclui praticamente de tudo; animais vivos ou mortos. Sua preferência é por pequenos mamíferos, mas também podem incluir insetos, frutas, restos de animais mortos e de alimentos deixados pelos homens. No inverno ficam mais restritas aos pássaros marinhos, invertebrados, peixes e focas. A população que habita o interior fica mais sujeita aos lemingues, pequenos roedores. Muitas raposas também costumam seguir os ursos para alimentar-se das carcaças de animais deixadas por eles. Claro que nas regiões árticas a carne nunca apodrece isso facilita para esse tipo de alimentação.
Um dos segredos de sua sobrevivência é que durante o verão, quando há maior quantidade de alimentos, a Raposa do Ártico armazena comida em seus esconderijos para ter como sobreviver no inverno quando praticamente todos os outros animais desaparecem. Não bastasse essa idéia genial, o animal até parece ter sido projetado especialmente para o meio. Seu estômago digere qualquer presa e ela pode suportar ainda longos períodos de jejum sem grandes problemas.

Como se não bastasse essas características que por si já são de grande vantagem, ela é ainda grande caçadora. Usa um truque exclusivo da espécie. Deita-se na neve e finge-se de morta. Isso atrai a curiosidade de algum pássaro ou outro animal que se aproxima para verificar, então ela ataca. Além disso, sua pelagem muda de cor conforme a estação do ano. No verão fica acinzentado ou acastanhado o que lhe permite ficar quase invisível entre as rochas. No início do inverno acontece um fenômeno extraordinário. A ponta de sua cauda começa a ficar branca e isso vai se estendendo por todo seu corpo até que fica totalmente branco ótimo disfarce para a neve.

Para sobreviver às baixas temperaturas do inverno às vezes chegando aos 50º C negativos, entra em jogo outra série de características. Os pêlos são compridos e sedosos cobrindo até mesmo a sola dos pés. Além disso, sua pele é um perfeito isolante térmico que lhe possibilita viver no meio do gelo e da neve completamente à vontade. Esses animais só possuem dois predadores, os ursos e os homens que os caçam por causa de sua pele. Entretanto como essas regiões são de difícil acesso a presença do homem é mínima. Quanto aos ursos parece que as raposas já conhecem todos seus truques.
Além das características físicas totalmente adaptadas à região onde vive seu maior segredo está na sua convivência. Apesar de ser nômade, vive em pequenos bandos que se ajudam mutuamente. É um animal monogâmico, cada macho fica com uma parceira por toda a vida e inclusive ajuda na alimentação dos filhotes caçando às vezes mais de 30 roedores por dia para alimentá-los. Algo muito interessante de se notar é que, sendo a quantidade de filhotes às vezes muito grande, o bando é normalmente composto pelo macho e a fêmea com seus filhotes e ainda por outra fêmea de crias anteriores que permanece no bando para ajudar a criar a nova prole.

Sua moradia é em cavernas escavadas na tundra aberta ou nas regiões rochosas. Essas cavernas possuem sempre várias entradas chegando às vezes até oito e se estendem por até 30 metros quadrados. As mesmas são utilizadas por centenas de gerações de raposas. Até mesmo para sua procriação entre em jogo mais um segredo da natureza, a quantidade de filhotes vai depender da quantidade de alimentos disponíveis. Normalmente de 5 a 11, mas em épocas de fartura podem chegar até 20. Os filhotes nascem de olhos fechados e só abrem depois de duas semanas. São amamentados durante dois meses às vezes se estendendo um pouco mais conforme a necessidade. Quando os filhotes deixam de mamar, o macho ajuda na caça e alimentação dos filhotes até que estejam prontos para sobreviverem. Seu desenvolvimento é rápido e com apenas dez meses já atingem sua maturidade sexual.

Dados biológicos
Nome popular: Raposa do Ártico.
Nome científico: Alopex lagopus.
Nome em inglês: Arctic Fox
Filo: Chordata
Classe: Mammália
Ordem: Carnívora
Família: Canidae
Habitat: regiões mais setentrionais do hemisfério norte, Eurásia, América do Norte, Groenlândia e Islândia
Tamanho: 53 a 55 cm. A cauda mede por volta de 31 cm e tem de 25 a 30 cm de altura.
Peso: 3,1 a 3,8 kg.
Longevidade: 13 a 14 anos
Gestação: 51 a 54 dias.
Filhotes: Depende da quantidade de alimento disponível em cada período. Normalmente de 5 a 11, mas pode chegar até 20.
Reprodução: Monogâmica

A Raposa do Ártico é assim uma das maravilhas da natureza. Um equilíbrio perfeito entre o animal e o meio. Isto pelo menos enquanto o homem não conseguir estragar seu habitat ou simplesmente caça-la por dinheiro. Leonardo Bezerra




1 comentários:

Sabrina Sell disse...

Acho a Raposa do Ártico um ser realmente fascinante!

20 de novembro de 2012 13:08

Nossos objetivos

Seja bem vindo! (a) Faça parte do Jornal Defesa dos Animais

Ajude-nos a melhorar ainda mais preenchendo este formulário

Entrevistas

Os animais são inocentes

Frases do dia

Conheça nossa página de vídeos

Resumo da Declaração Universal dos Direitos dos Animais

A Declaração Universal dos Direitos dos Animais da ONU

01 - Todos os animais têm o mesmo direito à vida.

02 - Todos os animais têm direito ao respeito e à proteção do homem.

03 - Nenhum animal deve ser maltratado.

04 - Todos os animais selvagens têm o direito de viver livres no seu habitat.

05 - O animal que o homem escolher para companheiro não deve ser nunca ser abandonado.

06 - Nenhum animal deve ser usado em experiências que lhe causem dor.

07 - Todo ato que põe em risco a vida de um animal é um crime contra a vida.

08 - A poluição e a destruição do meio ambiente são considerados crimes contra o animais.

09 - Os diretos dos animais devem ser defendidos por lei.

10 - O homem deve ser educado desde a infância para observar, respeitar e compreender

Material Editado

A maioria do conteúdo dos artigos são de nossa autoria baseados em fontes, entrevistas ou contatos sempre mencionados no final das matérias.

Os materiais de terceiros aqui editados são somente daquelas fontes que autorizam e seguindo o que as mesmas determinam.

Imagens usadas são de bancos de imagens livres ou de fontes que autorizam. Materiais de nossa autoria e de nossos colaboradores podem ser usados livremente por meios em defesa dos animais ou noticiosos sempre mencionando a fonte e autor.

Esta obra está sob uma licença Commons

Creative Commons License
Jornal Defesa dos Animais by Leonardo Bezerra is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.
Based on a work at jornalanimais.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://jornalanimais.blogspot.com.